Home Imprensa Artigos A Importância do Voto

* Clever Vasconcelos

Como bem sabemos, os direitos políticos consistem em um conjunto de regras que regulam os meios adequados e necessários para o exercício da soberania popular, possibilitando a participação dos cidadãos na vida política do país, ativa ou passivamente, conforme consagrado na Constituição Federal, e têm como instituições mais relevantes os partidos políticos e o Poder Legislativo livre e representativo, logo percebemos que devemos votar de forma consciente, pois escolheremos os nossos representantes.

De fato, os direitos políticos são prerrogativas, atributos, faculdades ou poder de intervenção dos cidadãos ativos no governo de seu país, intervenção direta ou indireta, mais ou menos ampla, segundo a intensidade do gozo desses direitos.

Aqui o nacional adquire o poder de participar ativa e passivamente da estrutura governamental estatal. É através do voto que o cidadão faz sua voz ecoar no poder. Ponderamos que estamos em período de campanha política, assim, estaremos fazendo a nossa voz ser ouvida por eles.

Os cidadãos procuram ser ouvidos por seus candidatos, ao debater os temas de desenvolvimento, estabelecendo o que os moradores de cada região necessitam de verdade, como a construção de creches, hospitais, transporte que atenda a demanda de forma adequada, entre outros anseios do povo. O eleitor deve observar ao seu candidato, deve refletir na hora de votar, pois o exercício do sufrágio vai impactar em sua vida diretamente, tendo em vista, que é através do cidadão que é exercido o direito político ativo, através da sua capacidade de votar, de escolher os mandatários que o representarão, traduzindo-se no ato fundamental para o exercício do direito de escolha.

No mundo jurídico, os direitos políticos são adquiridos por meio do alistamento eleitoral, um requisito imprescindível para o exercício da cidadania, antes disso a pessoa não é cidadão, e sim um nacional brasileiro, só podendo exercer o direito de escolher seu representante aquele que for considerado cidadão.

Nota-se que para obtenção da capacidade eleitoral ativa há necessidade de ser brasileiro, contudo independe da maneira como tenha sido adquirido o vínculo jurídico com o País. O direito de votar é conferido aos brasileiros natos e naturalizados, estando excluídos os estrangeiros e os nacionais conscritos durante o período de serviço militar obrigatório.

Atualmente, estamos vivendo momentos de difíceis no setor político nacional, mas podemos mudar através da escolha certa, verificando o histórico do seu candidato, não vote por uma obrigação, mas com a consciência de que precisamos escolher candidatos que realmente nos representarão e cobrar sua representatividade.

O eleito administrará os recursos provenientes dos impostos, suas equipes de governo.

Dessa forma, podemos concluir e verificar que devemos ter uma conscientização da importância do voto, que através dele que iremos escolher o nossos representantes que determinará a qualidade de vida nos próximos quatro anos, vide a sua escolha nas urnas impactará diretamente sua vida e de milhares de moradores de sua região; vote consciente.

Precisamos escolher de forma lógica e correta aquele que irá nos representar, visando uma democracia de verdade, ouvindo o povo e o povo sendo representado conforme resguardado em nossa Constituição Federal.

* Doutor em Direito do Estado – PUC/SP, Professor de Direito Constitucional e Eleitoral da Faculdade Damásio, Coordenador Pedagógico da Pós-Graduação em Direito Eleitoral – Damásio Educacional, membro do IBDC – Instituto Brasileiro de Direito Constitucional, e parecerista da EJE – Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Enviar comentário